Atitude durante o Zazen

Pergunta: Sobre a postura e a atitude durante o zazen. Deixa-se passar os pensamentos, para ganhar a concentração. Como muitos pensamentos vêm, a prática se torna um tipo de ida e volta entre pensamento- concentração e pensamento-concentração. Este fenômeno de ida e volta incessante é bastante frustrante.

Resposta: Durante o zazen, muitos pensamentos se manifestam porque o pensamento, ele mesmo, se modifica sem cessar, como uma cascata. É para evitar estes pensamentos que existe esta postura. Existem outras formas de meditar: em pé ou deitado… Como os Hindus descobriram esta postura, eis aí também uma boa pergunta sobre o zazen.

É necessário ler e reler o “Fukan Zazenji” e voltar a ele cada vez. O kyosaku é igualmente muito importante, não no sentido de uma punição, mas para dar coragem para efetuar este salto. O mais importante no zazen é realmente pegar aquela sensação: “O zazen que se torna zazen”.

Tente uma vez sentir a assimilação de toda energia do universo ao nível do kikai, este ponto fundamental que é a base de todas as artes japonesas (a pintura sumiê, a caligrafia e as artes marciais). É possível tocar este ponto e de o sentir fisicamente. Concentrar-se no kikai não é suficiente para eliminar os pensamentos, mas voltando a essa concentração pouco a pouco, isto vai modificando as coisas. Não é o shikantaza, mas se pode ao menos praticar isto. Keizan Zen-ji escreveu sobre este método que se pode utilizar.

De qualquer forma sentar assim é a base do shikantaza. É melhor fazer o zazen no inverno porque o zazen aumenta a temperatura, aquece o corpo; é possível sentir este calor. Aqui no Rochedo de la Baume é muito gostoso porque é fresquinho. Quanto ao zazen durante o verão, em geral se diz então, nem mesmo os cães comem.